Blog Ueepa!

Empreendedorismo na área de Segurança do Trabalho

Clayton dos Anjos, proprietário da Mais Prevenção Voltar ao Início

www.maisprevencao.com.br

Nem todos começaram a vida profissional empreendendo. Muitas pessoas trabalharam como “funcionários” de diversas empresas antes de iniciar o próprio negócio. E como tudo na vida, há seus prós e contras. Quando se começa bem cedo, você tem um tempo maior para errar até chegar ao objetivo almejado. Porém, se você começa a vida como funcionário e só depois resolve empreender, leva consigo um caminhão de aprendizado. É possível perceber as falhas, as deficiências e as necessidades para que uma nova ideia surja. Foi assim que Clayton dos Anjos percebeu a oportunidade de empreender no setor de Segurança do Trabalho, no qual atuava há cerca de 8 anos. Conheça mais este case de sucesso.

1. Como começou a ideia de empreender?

Quando estava realizando o curso Técnico em Segurança do Trabalho e durante o período do curso e estagiei em uma Assessoria de Segurança do Trabalho por 2 anos, vendo a necessidade das empresas que precisam de Profissionais Capacitados e Treinados para resolver diversos problemas. Quando terminei o curso Prestei serviços a Procter & Gamble – PG por 3 anos Técnico em Segurança, na FM Rodrigues por 2 anos como Coordenador de Segurança Trabalho e Meio Ambiente, entre outras empresas. Sempre ficavam vendo as Assessorias prestando serviço sem qualidade. Em maio de 2013 resolvemos abrir a nossa empresa.

2. Antes de empreender você trabalhava no mesmo setor? Há quanto tempo você entrou para o mundo do empreendedorismo?

Estou na área de Segurança do Trabalho tem cerca de 10 anos, mas como empreendedor atuo há dois anos.

3. Quais as dificuldades que você percebeu inicialmente?

Busca de clientes e falta de incentivo do governo pra quem está iniciando a empresa.

4. Hoje, quais são as barreiras para o seu negócio?

Os altos impostos atingem não apenas o setor que atuo, mas todos aqueles que resolvem empreender, independente do setor. Além disso, a concorrência termina dificultando um pouco o desenvolvimento da empresa, pois parte dos concorrentes trabalham com o preço dos serviços muito abaixo do mercado.

5. Já pensou em algum momento em ter um sócio?

Já tive sócio, mas não deu certo. Hoje prefiro continuar minha jornada sem sociedade.

6. Você tem funcionários? Trabalha em parceria com alguém?

Sim. Tenho parceiro em varias regiões de São Paulo. Dependendo da demanda termino acionando esses parceiros.

7. Pensando nos concorrentes, o que faz para se diferenciar deles?

Este é um setor que peca bastante no quesito qualidade dos serviços prestados. Entendemos essa “falha” como uma oportunidade. Então, fazemos questão de entregar qualidade nos treinamentos, nos laudos produzidos e no atendimento personalizado.

8. Como você faz a divulgação da sua empresa?

Através do boca a boca, site do Sindiconet, Sebrae, Google, LinkedIn e Facebook. Além disso, entregamos panfletos em lugares estratégicos.

9. Você costuma fazer cursos ou participar de eventos da sua área?

Sim. Participo de cursos na área de segurança de trabalho e também de cursos voltados para empreendedores. Além de todo aprendizado adquirido nos cursos, esses momentos trazem boas oportunidades de trabalho, já que prestamos serviços para todos os setores do mercado. Feiras e eventos também são interessantes para nós como observadores e na captação de clientes.

10. Qual é seu objetivo como empreendedor?

Que a empresa possa se multiplicar para outros estados mantendo a qualidade de serviços e contribuir com as empresas que buscam chegar em Acidentes Zero.

11. O que espera de 2015?

Que as empresas consigam enxergar a necessidade de oferecer planos de Prevenção aos seus colaboradores, pois além de evitar danos a saúde, a prevenção coopera com as finanças da empresa – já que os gastos são maiores quando o acidente ocorre.

© 2021 Ueepa!