Blog Ueepa!

O poder do olhar empreendedor!

O sucesso do chinelo retangular criado por um brasileiro. Voltar ao Início

Quando você pensa em chinelos, logo surge a imagem de modelos tradicionais, afinal chinelo é sempre chinelo. Eles podem se diferenciar pelas estampas, correias ou tipos de matéria-prima, mas o formato sempre foi o mesmo. Porém, a história ganhou um novo capítulo com a Kuatro Kantos, quando Moises Dias Pena teve a ideia de inovar e fazer um chinelo retangular.

"A Ideia surgiu no ato de observação de uma necessidade usual. Um dia chuvoso, vi uma moça calçando um chinelo convencional e percebi que seus dedos e parte dos pés estavam para fora da base do chinelo. Além da estética, pensei também no quesito saúde", conta Moises. A solução era simples. O formato precisava ser diferente, então por que não um retângulo? A mudança iria proporcionar mais higiene e daria mais proteção aos dedos - no caso de batidas em obstáculos.

Ao retornar para casa, Moises passou para o papel o desenho do novo chinelo e logo fabricou o primeiro protótipo com investimento inicial de R$ 12 - borracha R$ 8 e alça do chinelo R$ 4,00. Sua esposa, Valdete Pena, foi a primeira dona de um produto Kuatro Kantos. "Fizemos um teste no quintal de casa com a peça nova e deu certo, meus pés permaneciam secos", conta Valdete. Este foi o ponta pé inicial.

Uma das maiores dificuldades dos novos empreendedores foi para registrar a ideia no INPI, que deve ser feita através de um escritório de advogados conhecedores de marcas e patentes. Outro ponto delicado foi a resistência daqueles que estão em torno do idealizador, o que pode muitas vezes pode desestimular o empreendedor. Mas depois de conquistar admiradores e colecionadores, Moises e Valdete percebem que os clientes necessitam de novidades. "Quando acabamos de lançar uma determinada coleção, no mês seguinte há pessoas perguntando quando faremos novos modelos", comenta Moises.

O lançamento já rompeu fronteiras brasileiras. A empresa exporta para o Estados Unidos, Angola e Portugal. Hoje, a empresa tem 5 funcionários e um faturamento de 50 mil reais ao mês. As vendas são feitas pela loja virtual da marca, em algumas lojas multimarcas e em revendas autorizadas - que somam cerca de 270 pontos. E esse é apenas o início da empresa, pois o futuro é promissor. O grande desafio da empresa para 2016 - talvez, para todo o futuro - é não deixar que os produtos caiam na mesmice. "Temos obrigação de se reinventar o tempo todo e pensar em melhorias todos os dias", finaliza Moises.

Conselhos para empreendedores

"Nosso mundo está cheio de necessidades usuais. Não vivemos em um mundo completo e perfeito, basta olhar ao seu redor. Aquilo que o incomodar pode ser o início do processo de criação ou melhoramento. A partir daí, a busca por conhecimento deve ser continua. Busque ajuda de pessoas ou órgãos competentes para viabilizar a sua intenção ou ideia. Analise mais os pontos negativos, ou seja, trabalhe com os piores cenários e busque soluções para eles, pois se realmente acontecerem, você já estará preparado para enfrentar."

© 2024 Ueepa!